Updates / Atualizações

Updates, go go.

Those weeks in the kibbutz had only one permanent appointment, the Ulpan classes.

We are learning Hebrew in the Ulpan. Everyone got a bag with some items inside, like a bottle of water, Bamba salties, a Tel Aviv map, insurance forms and a Hebrew book, being used in the class right now.

Most of the group knew a little of Hebrew before the classes started, but even so everyone is in a basic level, except for one of the students. Everyone is going through the book at its own pace, with the aid of the teacher, the glossary at the end of the book and a dictionary. So far, we have had like one week of classes, we can read and write basic stuff, but we don’t have enough vocabulary for a long conversation. Yet! We will get better until the end of the program, I assure you.

After the Ulpan class – from 9am to 1-2pm with a lunch break -, we are dismissed for the rest of the day. Personally, I set myself a goal to study 10 pages per day, so I can go further in a small period of time. This time of study takes me some extra hours after the Ulpan class, pleasant hours really.

Besides that, we have a lot of time to kill until dinner. We traveled to some places nearby, Haifa and Akko.

Even though we went to Haifa, I won’t say I know it yet. I have been there three times so far: 1) to go to the Kirion shopping mall with the crew, 2) in a Carnaval party with Gilly and Darío (thanks a bunch for inviting us, Gilly! The picture taken with the girls was awesome haha) and 3) to change money with Darío in Rav-Mad, also a mall. Eh, to reach Rav-Mad was an adventure, Darío and I had no idea where it was and we barely could find a person that could speak English. We managed to be understood with a poor Hebrew and we could understand mostly hand directions and key-words, like sherut monit shalosh (van 3). This experience only encourages me to learn more Hebrew.

In Akko, we visited the Old City, nowadays a shuk pretty much. We were told that Akko is one of the oldest continuously inhabited sites in Israel through its history, which started thousand years BC. It was not part of Israel according to the 1947 map designed by ONU, it was supposed to be part of an Arab state, but it was added to Israel territories after the Arab-Israeli War in 1948. Nowadays 2/3 of the around 46,300 people living there is jewish and 1/3 is Arab, concentrated mainly in the Old City (Wikipedia).

Other activities… well, there was an Enrichment Activity explaining what a Kibbutz is, as posted in Portuguese here before. We also went to Jerusalem yesterday in a crazy trip – it took us 2h to reach there by bus, we stayed there for an hour and then 2h way back -, in a tribute to Gilad Shalit, a young Israeli soldier that was kidnapped 5 years ago and has not returned yet.

We are going to have Ulpan class this week, then we will start working and also meet our host families. Let’s see how it rolls.

——————

Atualizações!

Essas semanas no kibbutz só tiveram um compromisso fixo, as aulas no Ulpan.

Estamos aprendendo hebraico no Ulpan. Todos ganharam uma mochila com apetrechos dentro, uma garrafa d’água, salgadinhos Bamba, um mapa de Tel Aviv, formulários do seguro médico e um livro de hebraico, usado nas aulas.

A maioria do grupo já sabia um pouquinho de hebraico antes de vir para cá, mas mesmo assim só o básico do básico, só uma guria do grupo que já é fluente no idioma. Todos estão avançando no livro no seu próprio ritmo, com a ajuda da professora, um glossário no fim do livro e um dicionário. Até agora, tivemos pouco mais de uma semana de aulas, podemos ler e escrever coisas simples, mas não temos vocabulário para uma longa conversa. Ainda! Melhoraremos até o fim do programa, eu garanto.

Depois das aulas – das 9h até 13-14h com intervalo pra almoço -, estamos dispensados pelo resto do dia. Eu me impus a estudar 10 páginas por dia, assim posso avançar rápido em pouco tempo. Esse tempo adicional de estudo me toma algumas horas, eu gosto!

Fora isso, temos muito tempo livre até a janta. Já viajamos para algumas cidades próximas, Haifa e Akko.

Mesmo que a gente tenha ido pra Haifa, não posso dizer que já conhecemos a cidade. Eu já estive lá três vezes: 1) ir no shopping Kirion com o grupo, 2) festa de Carnaval com a Gilly e o Darío (muito obrigado por convidar a gente, Gilly! A foto com as gurias tá me dando uma moral hehe) e 3) trocar dinheiro no Rav-Mad, um outro shopping. Putz, chegar até o Rav-Mad foi uma aventura, o Darío e eu não tínhamos ideia de onde ficava e praticamente não achamos pessoas que falassem inglês no caminho. A gente conseguiu ser entendido através do nosso hebraico fraco e pudemos entender basicamente direções com as mãos e palavras-chaves, como sherut monit shalosh (van 3). Essa experiência só me encoraja a aprender ainda mais a língua.

Em Akko, visitamos a Cidade Velha, hoje em dia praticamente um shuk. Falaram-nos que Akko é uma das mais antigas cidades e sempre esteve habitada durante sua história (estamos falando de milhares de anos a.C.). Não pertencia a Israel pelo mapa da ONU de 1947, era pra ser parte do estado árabe, mas foi anexado aos territórios israelenses depois da guerra árabe-israelita em 1948. Atualmente 2/3 dos cerca de 46.300 habitantes de Akko são judeus e 1/3 é árabe, estes concentrados principalmente na Cidade Velha (Wikipedia).

Outras atividades… bem, teve uma “Atividade de enriquecimento” sobre o que é um kibbutz, já postado aqui em português em uma ocasião anterior. Também fomos para Jerusalém em uma viagem doida – levamos 2h pra chegar lá, ficamos lá 1h e depois mais 2h de regresso -, em homenagem a Gilad Shalit, um jovem soldado israelense que foi sequestrado 5 anos atrás e ainda não retornou.

Ainda vamos ter uma semana de aulas de hebraico, depois vamos começar a trabalhar e conhecer nossas famílias adotivas por aqui. Tô no aguardo!

Advertisements
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

3 Responses to Updates / Atualizações

  1. Mãe says:

    O Jaime e eu gostamos muito do teu novo post, com informações bem interessantes sobre Haifa e Akko. Espero para breve um post trilíngue, porque o hebraico deve estar progredindo muito!

  2. liu says:

    da-lhe gui!

  3. elisa says:

    E ai????? O hebraico agora ja esta ótimo????????? Ja consegue pedir informações na rua?????

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s